Roteiro: Lago de Furnas

Atualizado: 9 de jun.

Quem já passou pela Via Dutra (BR-116) na altura de Itatiaia com certeza já se distraiu ao olhar para o lado e ver um imenso paredão gramado escrito "Furnas" em branco. Ali atrás está o lago formado pela Represa do Funil, um excelente destino para se visitar de bike. Nesse roteiro iremos descomplicar o caminho pra você chegar lá e se surpreender com uma vista bem diferente da maioria dos passeios da região. Vem com a gente!

 

Nosso ponto de partida é mais uma vez a passarela de pedestres que fica logo após a saída para Penedo, sentido São Paulo, na Via Dutra (BR-116). Se você precisa de orientações para chegar até este ponto de encontro, clique aqui.

Graal Itatiaia, onde você se despede da Dutra

Seguindo pelo acostamento você irá passar em frente à saída para a Estrada Fazenda da Serra, um outro excelente passeio que nós já descrevemos aqui. Em seguida, poderá ver à direita as fábricas da Hyundai Heavy Industries Brasil e da Michelin antes de chegar à Graal Itatiaia. Em frente à Graal há um ponto de ônibus, local ideal para esticar as pernas, se hidratar e esperar os colegas marcha lenta. Até aqui você terá percorrido ao todo 5km de acostamento desde o ponto de encontro de onde partimos.

Rampa para o Terminal Rodoviário de Itatiaia

Saindo da Dutra ao manter-se à direita logo após a Graal, você irá descer como quem pretende pegar o retorno para Resende, mas ao invés disso, permanecerá à direita, sentido Parque Nacional de Itatiaia, outro destino que em breve iremos descrever em detalhes aqui no site, nos siga nas redes sociais para não perder. Permaneça na marginal da rodovia até avistar uma rotatória, onde você deve seguir em frente (segunda saída), continuando às margens da Dutra em uma avenida com canteiro no meio. Esse canteiro inclusive vai ser seu guia para não se desviar do caminho, você deve segui-lo até avistar uma faixa de pedestre que te levará a uma rampa de acesso ao Terminal Rodoviário de Itatiaia.


Passando em frente ao terminal você irá avistar uma passarela de pedestres que vai te levar até o outro lado da rodovia. Ela é bastante estreita, não sendo possível atravessar pedalando caso venha outra pessoa no sentido contrário. Após descer da passarela, continue pela marginal no mesmo sentido que estava do outro lado, ou seja, dessa vez na "contramão" dos carros que passam na estrada à sua direita. Em seguida, vire à esquerda em uma rua asfaltada onde na esquina pode-se ler "Pousada da Iza".

Esta rua termina após uma pequena ponte, você deve então virar à direita. O asfalto nesse trecho é novo e irá te ajudar a fazer as pequenas subidas logo adiante. Permaneça nessa rua até avistar uma bifurcação, onde para desespero dos novatos, você terá que manter-se à esquerda, fazendo uma subida curta, porém íngreme.

Subida à esquerda que você deve fazer.

A partir desse ponto não há mais como errar o caminho, basta seguir em frente toda vida.


Os próximos quilômetros são o trecho menos agradável do passeio, pois se trata de uma rua bem estreita que atravessa um bairro de Itatiaia. Não sabemos se este local é perigoso ou não, então por via das dúvidas, recomendamos que esse passeio não seja feito por grupos menores que três pessoas, apesar de eu nunca de fato ter me sentido inseguro por ali. Outro problema é que, por ser apertado, dependendo do trecho você pode ter que parar para dar passagem a veículos que cruzam seu caminho, então já fica aqui a próxima dica: procure fazer esse passeio em um domingo cedo para evitar o transito e o pedal fluir melhor. Esse trecho dura cerca de 2,5km, até que você avista uma placa azul escrito "Furnas Centrais Elétricas SA". A partir desse ponto é que as coisas começam a ficar interessantes.

Agora você está em uma agradável estrada de terra e se o tempo estiver bom, poderá avistar à direita todo o esplendor da cadeia de montanhas que compõem o Parque Nacional. Você irá seguir em frente até fazer uma curva à esquerda, passando sobre um "mata burro".

Aqui começa um lindo trecho do passeio, onde você irá percorrer um corredor de árvores de algumas centenas de metros com muitas folhas pelo chão e em um terreno quase plano e sem buracos, é aí então que uma sensação de paz começa a tomar conta de você, mas não se empolgue, pois essa paz é logo interrompida ao avistar uma subida íngreme em um caminho de pedras batidas que pode muito bem ser classificada como um "cala a boca", de acordo com o vocabulário dos mais experientes. Não sinta vergonha se precisar descer e empurrar, pois ela é longa e exige esforço até dos mais bem preparados.

Início da subida mais íngreme do passeio. Na foto é difícil perceber a inclinação.

No meio dessa subida você irá ver um portão azul à direita, ignore-o por enquanto e siga à esquerda, mais adiante iremos te contar o que tem ali. Ao término da subida você irá ver outro portão, que fica sempre aberto e que dá acesso finalmente à uma estrada às margens do lago. A vista a partir dessa estrada, de ambos os lados, é deslumbrante. De um lado, o imenso lago de Furnas e suas ilhas, do outro, a Dutra aos pés das montanhas do Parque Nacional. Essa parte do caminho, apesar de 100% plana, é cheia de buracos, então se mantenha nos cantos para ter um pedalar mais suave e aproveite os mais de 2km que irá percorrer até o ponto em que você poderá encostar na água se quiser. Assista a esse incrível vídeo editado por nós com trechos filmados pelo nosso colega Marcelo Fragoso, em parceria com o grupo Pedalentos:

Pode não parecer mas agora você já está quase na altura do distrito de Engenheiro Passos, local que em breve iremos desbravar e contar tudo pra vocês aqui no site. Chegando à beira da água, quase sempre podemos ver pessoas pescando. Não há sombra para se abrigar, infelizmente, mas o lugar é bem bonito, especialmente no inverno, quando o nível da água está mais baixo, o que faz surgir uma espécie de "praia de terra", com várias pedras que rendem ótimas fotos, um cenário para guardar na memória. Clique na lateral das fotos abaixo para passar:

Para a maioria dos ciclistas, que ainda não descobriram o Bike Tour Agulhas Negras, o passeio termina aqui, eles simplesmente voltam pelo mesmo caminho que vieram e se despedem, mas para você que é mais sortudo, ainda há uma última atração a visitar. Lembra do paredão verde escrito "Furnas" em branco que podemos ver da Dutra e que falamos lá no início? Então, você está em cima dele, certo? Portanto, não é possível ver nada parecido com aquela vista, mas lembra também daquele portão azul no meio da subida que falamos para você ignorar por enquanto? Então, agora é hora de voltar lá e descer pelo caminho que nele se inicia! Você irá percorrer um trecho super agradável de terra, tendo o paredão da represa à sua esquerda, até que em um determinado ponto poderá avistar o "Furnas" lá no alto e se quiser, registar mais algumas fotos bem interessantes. Essa também é uma alternativa para quem considera o passeio curto e gostaria de mais alguns quilômetros na atividade do Strava ;) Clique na lateral das fotos abaixo para passar:

Agora sim você fez o passeio completo e pode tomar o caminho da roça voltando exatamente por onde veio, até avistar a rua em que virou à esquerda assim que saiu da passarela. Dessa vez você não vai voltar por ela, ao invés disso, vai seguir em frente até o final, chegando no centro de Itatiaia (banco Itau à sua esquerda).

Lanchonete no caminho de volta

Agora seu objetivo é voltar para a Dutra, dessa vez sentido Rio, para isso você precisa acessar a próxima rua paralela a essa principal que acabou de chegar. Mas antes disso, aqui vai uma sugestão caso alguém no grupo esteja com fome: descendo um pouco à esquerda da esquina em que vc se encontra (contramão) existe uma lanchonete com ótimos salgados chamada "Nova Estação", aproveite.


De volta ao pedal, na rua de mão dupla paralela a essa que vc estava, siga em direção à dutra e vire à direita quando chegar na marginal. Siga pelo canto até uma rotatória, onde vc irá pegar a segunda saída para permanecer na marginal, sentido Rio. De volta ao acostamento da Dutra, atenção redobrada em um trecho de calçada, mais estreito, com uma mureta branca. Mais a frente há uma saída à direita que você pode pegar para pular um pedaço do acostamento se preferir. Veja as fotos abaixo, que estão na sequencia em que ocorrem:

Após 4,5km de Dutra você estará de volta à Resende, onde poderá entrar na cidade pelo Acesso Oeste ou retornar para o outro lado pela mesma passarela onde tudo começou.

 

E aí, o que achou? Descobriu algo que não sabia a respeito deste percurso? Lembrou de algum detalhe importante que deixamos passar? Conte para nós nos comentários e compartilhe essa matéria para que mais pessoas possam conhecer mais essa opção de destino.

 

Ficha técnica

Altimetria (ida)

Tipo de bike recomendada: MTB

Estrada de terra: 12km ao todo

Acostamento BR: 9,5km ao todo em relação ao ponto de encontro

Trilha de bike: 0km Possui cachoeira: NÃO

Passa por propriedade particular: SIM, porém de livre acesso.

Ganho de elevação (ida): 119m

Nível: INICIANTE (com exceção da subida final) Atrações: Lago formado pela represa da Usina de Funil, pertencente à Furnas; Letreiro de Furnas

 

Já conhece nossas mídias sociais? Instagram: instagram.com/biketouragulhasnegras

Facebook: facebook.com/biketouragulhasnegras Strava: http://strava.com/clubs/biketouragulhasnegras

974 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo