Roteiro: Serrinha x Capelinha

Atualizado: 9 de jun.

Resende possui vários distritos de interesse turístico, cada um com seu charme particular e suas atrações únicas, mas talvez nenhum deles seja tão frequentado pelos ciclistas da região, de todas as modalidades, quanto a Capelinha do Pirapetinga. Nesse roteiro você vai entender o que atrai tantos de nós a este local e irá descobrir segredos e caminhos que nem todos conhecem. Vem com a gente!

 

Para chegar à Capelinha o ciclista precisa passar obrigatoriamente pela rotatória que marca o início da subida até a Serrinha do Alambari. Portanto, se você não sabe chegar até essa rotatória ou quer ficar por dentro de todos os detalhes dessa primeira etapa do percurso, recomendo que leia o nosso roteiro da Serrinha antes de continuar. De todo modo, aqui vai um resumo: partindo do "Posto do Esquilo", siga pela estrada em direção a Visconde de Mauá por 7 quilômetros, não tem erro. Você irá passar em frente ao pórtico de Penedo e fazer o temido "cala a boca" de 1km antes de chegar na rotatória que fica em frente ao pórtico da Serrinha.

Final do "Cala a Boca" antes de chegar na rotatória da Serrinha

Ao pedalar por essa estrada você irá reparar que existem obras sendo feitas ao longo de todo o caminho desde o pórtico de Penedo até à vila da Capelinha, tratam-se das adequações para a instalação de acostamento em ambas as faixas da estrada, o que irá melhorar em muito a segurança não só dos ciclistas mas de todos que a utilizam. Quem nos segue ficou sabendo dessa notícia em primeira mão aqui no site.

Obras pelo caminho para implantação de acostamento

A partir da rotatória da Serrinha você irá seguir por mais 4,7km até avistar o imponente pórtico da Capelinha. Essa parte do trajeto é marcada pelas subidas e descidas constantes, pelo cheiro de eucalipto e pela bela paisagem de ambos os lados, um convite para esquecer um pouco o treino e se render ao passeio sem compromisso.

Subidas e descidas ao cheiro de eucaliptos antes de chegar ao pórtico

Ao chegar na reta do pórtico você irá reparar duas coisas antes dele, a primeira é uma placa escrito "Restaurante Pesque e Pague" apontando para uma estrada de terra à direita, vamos abordar esse lugar mais adiante no roteiro; a segunda é a belíssima vista da Serra da Mantiqueira à sua esquerda. O difícil é pegar um dia de céu aberto para apreciar a serra em sua plenitude, uma vez que nessa região é muito comum a ocorrência de neblina na parte da manhã.

Placa apontando para a estrada de terra que iremos abordar mais adiante
Placa exaltando o potencial do ecoturismo em Resende
Pórtico da Capelinha

Bem ao lado do pórtico existe um muro de pedra que rende fotos excelentes com a Serra da Mantiqueira ao fundo, especialmente nos dias de céu azul. Se o tempo permitir, não perca essa chance!

Muro de pedra ao lado do pórtico, parada obrigatória para os que não perdem uma boa foto

Um quilômetro depois do pórtico, após passar pela entrada de algumas fazendas você irá ver à sua esquerda um estabelecimento comercial chamado Estação Capelinha, onde, se já estiver aberto, você poderá tomar um café com queijo e em outra oportunidade comprar bebidas e produtos artesanais da região, vale a pena conhecer.

Loja de bebidas e alimentos artesanais da região.

Poucos metros depois você irá chegar ao maior point de ciclistas de toda a região, o Bar Capelinha, também conhecido como Parada Quase Obrigatória. É o lugar perfeito para você fazer amigos e curtir aquele salgado, café, cerveja, enfim, reabastecer as energias. O motivo desse lugar ser tão popular é o fato de ele ser o último ponto de apoio antes da desafiadora serra de Mauá e de pedais como a "Volta dos 50(km)" e a "Volta dos 60(km)", que ligam a Capelinha à Vargem Grande.

Amanhecer com neblina no Bar Capelinha
Placa indicando que você está no ponto central do distrito

Quem chega de Speed nesse local tem basicamente duas opções a partir dali: encarar a subida da serra ou fazer o caminho de volta. Por outro lado, quem está de Mountain Bike, além das duas rotas até Vargem Grande que já mencionamos e a subida da serra, pode seguir também por caminhos de terra dentro da própria Capelinha que muitos simplesmente desconhecem. O primeiro e mais próximo deles é a rua que leva até o Pesque Pague Capelinha. O acesso a essa rua fica a apenas 400m a diante, à direita.

Saída à direita que leva à rua do Pesque e Pague Capelinha

Nessa rua você irá passar por algumas propriedades muito bonitas até chegar ao primeiro ponto de atenção, um estabelecimento chamado Rancho Capelinha, que oferece passeios a cavalo em meio à natureza, uma outra forma muito boa de conhecer de perto as belezas desse distrito.

Caminho antes do Rancho Capelinha
Rancho Capelinha

Seguindo em frente você irá passar por um trecho bem agradável de estrada de terra até chegar a uma subida íngreme que termina em uma bifurcação, onde seguindo à direita você irá circular o lago do pesque e pague, passando por casas de dar inveja a qualquer um que sonha com um cantinho sossegado na roça, enquanto à esquerda você irá para a recepção do estabelecimento, um local bastante bonito que serve um excelente almoço nos finais de semana.

Caminho antes de chegar ao pesque pague
O que se vê ao circular o lago do pesque pague

Então a dica que deixamos é que você use esse trajeto para sair do asfalto um pouco antes de voltar para casa ou hotel, quando tiver planejado um bate e volta simples na Capelinha. Também é o desvio ideal para aqueles que como eu adoram tirar fotos ao longo do caminho.

Relaxe um pouco às margens do lago antes de voltar

De volta ao asfalto, a próxima atração para quem está de MTB é continuar subindo a estrada por mais um quilômetro até a bifurcação que marca o início da serra. Nela, ao invés de seguir pelo asfalto à esquerda, você deve virar à direita, na estrada de terra que dá início às voltas do 50(km) e dos 60(km).

Bifurcação onde você seguirá à direita, ao invés de subir a serra

Uma vez nessa estrada, para continuar explorando a Capelinha ao invés de seguir em direção à Vargem Grande, pegue a direita logo na primeira bifurcação.

Bifurcação logo no início da estrada de terra, onde você deve manter-se à direita

Você seguirá por um caminho muito bonito, com vistas incríveis de ambos os lados. Será possível inclusive avistar o lago do pesque pague lá em baixo à direita em determinado momento.

Trecho muito bonito antes da descida

Após 1,5km você precisará estar muito concentrado e com os freios em dia para fazer uma das descidas mais perigosas da região devido ao cascalho solto predominante e à elevada inclinação, portanto, atenção!

Início da descida que requer concentração total

A descida termina em uma porteira. Caso esteja fechada, o que é raro, você terá que descer, suspender a bike até o outro lado e pular. Não se sinta mal ao fazer isso se for preciso, nós conversamos pessoalmente com os donos da fazenda e eles garantiram livre passagem para ciclistas. Logo após a porteira você irá avistar um imponente casarão que é sede da Fazenda Cachoeira. A construção data de meados de 1880, uma das mais antigas da região.

Sede da Fazenda Cachoeira

De frente para a sede da fazenda, virando à direita você irá seguir por pouco mais de 500 metros até avistar uma passagem de concreto sobre o rio que foi construída de forma a criar um lago e várias pequenas quedas d'água. Sinta-se a vontade para entrar e se molhar se quiser e aproveite para tirar algumas fotos!

Local onde é possível tomar banho de rio no caminho

Seguindo em frente você irá passar por um terreno um pouco mais desafiador, com pedras (lama, se tiver chovido) e subidas íngremes até avistar uma placa que indica a direção para o Recanto do Tambaqui, um excelente local para almoçar aos finais de semana, comparável aos melhores restaurantes de Penedo. Nesse lugar também funciona um pesque pague muito bem organizado que vale a pena conhecer em outra oportunidade com a família.

Placa que indica o caminho para o Recanto do Tambaqui

Curiosidade: nessa fazenda já funcionou um Bike Park completo, com pistas de vários graus de dificuldade, mas que infelizmente encerrou suas atividades há alguns anos. Nós conversamos com os donos da fazenda sobre a possibilidade de reabertura e eles nos disseram que estão dispostos a novamente ceder o local para isso, desde que hajam interessados em tocar o empreendimento. Portanto, deixe aqui nos comentários sua opinião a respeito, você frequentaria esse Bike Park se ele fosse reativado? Acha que nossa região tem demanda para sustentar esse tipo de empreendimento?

Mapa que mostra como era o antigo Bike Park

Agora, lembra daquela estrada de terra próxima ao pórtico, que mencionamos no início do roteiro? Então, lá é por onde você irá chegar após andar mais 1km depois da entrada para o Recanto do Tambaqui. Agora sim, tendo conhecido a Capelinha por completo de verdade, você já poderá pegar o caminho de volta!

 

E aí, o que achou? Já conhecia bem essa região do Tambaqui? Sabia da existência desses dois pesque pagues na Capelinha?? Sabe de alguma curiosidade a respeito desse lugar que nós não mencionamos? Nos conte nos comentários!

 

Ficha técnica

Altimetria

Tipo de bike recomendada: MTB

Estrada de terra: 4,2km

Trilha de bike: 0km Possui cachoeira: SIM.

Ganho de elevação: 404m

Nível: INTERMEDIÁRIO Atrações: Parada Obrigatória; Pesque Pague Capelinha; Recanto do Tambaqui

 

Para onde ir a partir da Capelinha?


- Volta dos 50

- Vargem Grande

 

Nossas redes sociais

Instagram: instagram.com/biketouragulhasnegras

Facebook: facebook.com/biketouragulhasnegras Strava: http://strava.com/clubs/biketouragulhasnegras

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCZNBvczIamsQZ6W_JY3ZmOw



229 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo