Roteiro: Cachoeira da Usina

Atualizado: 9 de jun.

Uma das vantagens da região das Agulhas Negras para quem pedala é a possibilidade de a partir dela fazer passeios de bate e volta em destinos incríveis nos estados de Minas Gerais e São Paulo. Um desses destinos será o tema deste roteiro: as cachoeiras do Criminoso e da Usina, que ficam no município de Arapeí - SP. Se você já conhece o caminho e o destino em questão, te convido a ler até o final, pois é muito provável que descubra algo que não sabia, mas se você nunca foi até lá pedalando, se prepare para descobrir um dos pedais mais incríveis da sua vida! Vem com a gente!

 

Nosso ponto de encontro dessa vez é a "Rotatória do Alphaville", em Resende. Se você precisa de instruções para chegar até lá, clique aqui. A partir da rotatória você irá seguir à esquerda de quem está olhando de frente para a portaria do condomínio, ou seja, sentido oposto à quem deseja ir ao centro da cidade. Você irá passar em frente a uma série de prédios e fazer uma curva natural à esquerda, ainda no asfalto, que termina em uma subida bastante íngreme, seu primeiro desafio. Logo após vencer essa subida, que muitos "speedeiros" da cidade usam como treinamento, você dará início à parte do percurso que se passa na Estrada da Limeira, uma estrada de terra muito bem conservada, com poucos buracos, mas com muitas subidas desafiadoras.

Neblina muito comum no início da boa estrada de terra que te levará ao estado de SP

Dos 20 quilômetros que você irá percorrer nessa estrada, apenas os últimos 4 pertencem ao estado de São Paulo, então ao pedalar por ela você terá uma boa noção da real extensão territorial da área rural do município de Resende. Aproveite para curtir a linda paisagem e não se esqueça de travar a suspensão nas subidas mais difíceis, pois não serão poucas, este não é um pedal para iniciantes.

Poucos buracos na Estrada da Limeira
Um vislumbre da enorme área rural de Resende, o paraíso das MTB

Após percorrer 8km pela estrada, você irá ver uma grande pedra aparentemente criando uma bifurcação, mas não se preocupe, ela é fake, na verdade a estrada não está se dividindo, ambos os lados dão no mesmo lugar. Esse é um bom ponto de referência pra você saber se continua no caminho certo.

Falsa bifurcação. De preferência mantenha a direita para não andar na contramão.

Pouco depois desse ponto você irá ver à sua esquerda um portão escrito "Sítio das Pedras" e logo depois, à sua direita você poderá acessar uma bica d'água, aproveite para reabastecer seu estoque, você vai precisar.

Bica d'água salvadora no caminho

Depois de andar por mais 2,5km você irá passar pelo primeiro ponto que requer atenção para não errar o caminho. Você irá ver um ponto de ônibus do lado esquerdo e poucos metros a diante, uma bifurcação na qual você precisará se manter à esquerda. Caso permanecesse à direita você poderia optar entre seguir em direção ao município de São José do Barreiro ou ao Restaurante Tia Ilda, destinos que iremos abordar em futuros roteiros.

Primeira bifurcação de verdade, na qual você deve manter à esquerda.

Pouco mais de dois quilômetros após a bifurcação você irá ver à sua esquerda uma placa que indica uma curva acentuada, quase um retorno à esquerda, que você não irá fazer, ao invés disso, permanecerá à direita. Uma das setas dessa placa aponta para o lugar conhecido como "Boca do Leão", um percurso que também terá sua chance aqui no site muito em breve. Continue pela estrada, sentido Arapeí.

Caminho que você não irá pegar dessa vez, que levaria à Boca do Leão

Menos de um quilômetro depois você irá ver algumas casas cercadas de árvores, um cenário bem bonito, talvez seja um bom ponto para parar um pouco, tomar uma água e esperar os retardatários.

Trecho de casas muito bonito no caminho

A partir daí você irá seguir pela estrada principal, passando por duas viradas à esquerda que você não irá fazer, é fácil não errar, basta seguir seu instinto de não ir pelo caminho mais íngreme. Até que em dado momento a estrada fará uma curva natural para contornar um lago muito bonito, local que rende belas fotos.

Lago no caminho para a turma do #pedalandoefotografando
Ao redor do lago é comum encontrar pessoas pescando

Esse trecho ao redor do lago, de cerca de dois quilômetros, é talvez o pedaço mais bonito dessa estrada, aproveite para curtir a paisagem e relaxar antes de chegar ao inevitável e mais maçante asfalto. É também no meio do lago que você deixa o estado do RJ para trás e entra em SP, não há placa indicando o local exato, infelizmente. Clique na lateral da foto abaixo para ver das demais:

Cerca de um quilômetro e meio após o lago, agora já em território de Arapeí, você irá manter-se à direita logo após um trecho com muitas pedras grandes de cascalho e fará seus últimos 250 metros na estrada de terra, alcançando finalmente a Rodovia dos Tropeiros, que liga Bananal à Cachoeira Paulista.

Momento de manter-se à direita após muito cascalho
Chegada ao asfalto da Rodovia dos Tropeiros

Uma vez no asfalto, você irá percorrer cinco quilômetros e meio até o bonito pórtico que te dá boas vindas à Arapeí, irresistível para aqueles que como eu curtem uma boa foto.

Pórtico de Arapeí

Apenas um quilômetro após o pórtico você irá chegar na cidade em si. Mantendo-se na rodovia enquanto a mesma corta a cidade, você logo irá ver à sua esquerda o estabelecimento chamado Bar da Maria, que vende excelentes salgados e todo tipo de bebidas, vale a pena dar uma parada e repor as energias, pois acredite, você irá precisar delas!

Bar da Maria, parada obrigatória antes de seguir para as cachoeiras.

Uma vez de estômago cheio, continue na estrada por mais 500 metros até uma saída à direita, seguindo placas que indicam Estrada Municipal José Antônio de Paula. Pouco antes de virar você irá passar por uma praça que possui um monumento muito interessante, que mostra quais são as atrações naturais da cidade, vale a pena dar uma parada e ver o quanto ainda haverá para explorar em expedições futuras.

Praça com monumento dedicado às atrações naturais de Arapeí
Momento em que você sai da Rodovia dos Tropeiros em direção às cachoeiras

Imediatamente após sair da rodovia você irá ver um portão azul que está sempre aberto e começará mais um trecho em estrada de terra, um percurso muito muito bonito, com as montanhas da Serra de Bocaina ao fundo, siga aproveitando a vista até chegar a uma bifurcação onde você irá manter-se à direita. No momento em que você avista essa bifurcação você também poderá ver ao longe a parte superior da Cachoeira do Criminoso. Essa parte superior não é acessível via trilha infelizmente, mas você poderá vê-la um pouco mais de perto posteriormente.

Portão que marca o início do novo trecho de terra do roteiro
Vista das imponentes montanhas da Serra da Bocaina
Bifurcação na qual você irá manter à direita.

Pouco menos de um quilômetro e meio após a bifurcação, após pedalar por mais um lindo trecho da estrada de terra você irá ver à sua direita uma placa azul que diz "Bem vindo à Cachoeira do Criminoso. Propriedade particular. Entrada R$5,00 por pessoa". Ali há uma abertura na cerca que você consegue usar para passar, mas sua bike não, então você terá que atravessar a bicicleta suspendendo-a até o outro lado. Bora usar um pouco os músculos do braço pra variar.

Mais um trecho muito bonito na estrada de terra
Hora de passar a bike por cima da cerca

Logo após a cerca você irá ver uma ponte improvisada e muito estreita, que você terá que usar para chegar ao outro lado do rio se não quiser se molhar. Lembre de pedir para alguém filmar a travessia da galera, para que no caso de acontecer alguma "vídeo cassetada" vocês possam assistir depois e dar risada. Não recomendamos tentar atravessar pedalando, nem pela ponte e nem pelo rio. Uma alternativa seria carregar a bike nos ombros e passar caminhando pelo leito do rio, molhando as pernas.

Ponte improvisada, já dentro do terreno particular.

Vencido o desafio, siga pedalando até passar por dentro de um bambuzal, que pode render boas fotos. Ao final dele há uma porteira aberta que leva a um trecho de trilha de vaca bem curto. Vá desviando das montanhas de excremento até chegar a mais uma porteira, dessa vez fechada.

Trecho logo após passar pela ponte improvisada
Bambuzal no caminho para a casa da fazenda.

É nesse ponto que você será recebido pelos responsáveis pela propriedade, que te darão boas vindas, receberão o pagamento e te levarão até a casa que serve de ponto de apoio a todos que desejam conhecer as cachoeiras. A taxa simbólica que é cobrada serve para que realizem a manutenção das trilhas, dentre outras coisas. As placas nessa porteira informam que é proibido entrar com bebida alcoólica (pois eles vendem lá dentro), caixas de som, armas ou menores sem supervisão. Vale lembrar também que esse passeio precisa ser agendado, para que você não corra o risco de chegar até lá e não encontrar ninguém na casa para te receber. O agendamento pode ser feito entrando em contato com a Anna Catarina pelo número (12) 99720-4111.

Entrada principal da propriedade
Casa principal da propriedade.

Na casa você terá banheiros e tomadas a disposição. Lá eles vendem bebidas e dependendo do tamanho do grupo, combinando com antecedência, podem preparar um almoço muito gostoso. No gramado próximo à casa você irá encontrar algumas árvores frutíferas, uma rede e uma bica d'água que pode usar para encher sua garrafa antes de subir a trilha para a cachoeira principal.

Aproveite para renovar a água da garrafa

Uma vez ambientado, seu primeiro destino será a Cachoeira do Criminoso, que encontra-se a apenas alguns metros de distância da casa, pergunte para o caseiro e ele irá lhe apontar a direção. Lá há piscinas naturais para quem quiser dar um mergulho, assim como locais onde é possível sentar e deixar a água bater nas suas costas, uma verdadeira hidromassagem natural. A queda d'água em si é muito bonita e a natureza ao redor dela é igualmente encantadora. Clique na lateral da imagem abaixo para ver as próximas:

Curiosidade: as informações que pudemos apurar até agora sobre a origem do nome dessa cachoeira dão conta de que durante a Revolução de 1932 um grupo do exército de SP (os revolucionários) foi até esse local, que servia de base para as tropas inimigas, no intuito de se entregar, isso já depois de o conflito ter sido dado oficialmente como encerrado, no entanto foram recebidos a tiros e mortos, o que posteriormente foi encarado como crime de guerra, portando o nome "Cachoeira do Criminoso" é uma referência ao oficial dos exércitos de MG e RJ que teria ordenado o ataque.


De volta ao roteiro, seu próximo destino será a atração principal desse passeio, a Cachoeira da Usina. A trilha até ela começa logo ao lado do acesso à Cachoeira do Criminoso, você irá reparar em um caminho bem íngreme em meio ao pasto, bastante difícil de ser feito pedalando, essa subida dura cerca de um quilômetro. O trecho que se segue depois disso pode perfeitamente ser feito sobre a bicicleta e é bastante agradável, mas nem todos gostam da ideia de empurrar a bike 1km morro acima, portanto, existe a opção também de deixar a bicicleta na casa em segurança e seguir a pé, fica a seu critério. Quem optar por não se separar da bike poderá chegar com ela até a base da cachoeira.

Início do trecho de subida íngreme pelo pasto, sem sombra
Subida bastante difícil de se fazer pedalando

Do meio dessa subida você poderá ver ao longe uma cachoeira bem grande que não pode ser acessada via trilha infelizmente, esse é o mesmo curso d'água que mais abaixo forma a Cachoeira do Criminoso que você acabou de visitar. Essa é também a cachoeira que você avistou ao longe na estrada de terra.

Vista da cachoeira inacessível que fica rio acima da Cachoeira do Criminoso

Ao final dessa subida você irá ver uma bifurcação, na qual deverá se manter à esquerda, descendo, ao invés de continuar subindo por uma estrada. Essa estrada ligaria esse ponto do caminho ao centro de Arapeí, o que possibilitaria você chegar até a base da Cachoeira da Usina de carro, por exemplo, no entanto o caminho foi fechado pelo do dono uma das fazendas que ele atravessa.

Bifurcação no final da subida, na qual você deverá descer à esquerda

O próximo trecho é um percurso por uma estrada estreita em meio à floresta e ao som do rio passando à sua esquerda, um momento para aproveitar e apreciar o contato com a natureza. Se encontrar alguma cerca bloqueando o caminho, não se preocupe, é possível abrir e passar. Há um momento ao longo desse trecho onde você passa por um descampado e pode ter um vislumbre ao longe da cachoeira que te aguarda, aumentando ainda mais a ansiedade. Você irá seguir por esse caminho por menos de dois quilômetros até avistar uma ponte.

Caminho em meio à floresta pouco antes da cachoeira
Descampado de onde é possível avistar a cachoeira

Ao chegar à ponte você terá a incrível visão da Cachoeira da Usina em toda a sua extensão, mais de 80 metros! O final da queda é marcado pela presença de uma pequena praia bem aos pés da ponte, esse é o local de mais fácil acesso para quem deseja mergulhar nessas águas.

Vista de toda a queda d'água da Cachoeira da Usina
Local para tomar banho na base da cachoeira, aos pés da ponte.

Do lado esquerdo da cachoeira, após atravessar a ponte, existe uma escadaria que dá início a uma trilha que você pode fazer se deseja chegar mais perto da queda d'água em si. Chegando ao final dessa trilha, quem deseja alcançar as piscinas que se formam na parte mais alto da cachoeira pode fazê-lo tomando bastante cuidado e não se arriscando quando não tiver certeza sobre o próximo passo. Definitivamente não tente ir onde não tiver certeza de como irá fazer para voltar. De todo modo, mesmo que você não vá seguir pelas pedras, vale a pena fazer a trilha para ver mais de perto essa maravilha. Clique na lateral da foto abaixo para ver as próximas:

Curiosidade: o nome oficial dessa cachoeira é Cachoeira da Gruta, devido à presença de uma gruta poucos metros antes de chegar nela, mas ficou conhecida como Cachoeira da Usina pois parte de suas águas costumava ser desviada por tubulações até uma usina que gerava energia elétrica para Arapeí e Bananal. Essa usina encontra-se hoje abandonada e suas ruinas podem ser vistas logo à esquerda da cachoeira.


Para encerrar, vamos te passar algumas dicas sobre o caminho de volta. Primeiramente prepare seu psicológico para a longa e íngreme subida que terá que fazer ainda no asfalto. Você irá retornar pelo mesmo caminho de onde veio, mas isso pode parecer confuso em alguns pontos, devido á mudança de perspectiva. Nesse sentido, o primeiro ponto de atenção é a saída do asfalto da Rodovia dos Tropeiros de volta para a Estrada da Limeira. Para não errar, basta ficar atento a uma placa amarela da Transpetro que diz "PE - Resende - 3,9km", como pode ver abaixo:

Placa que indica o momento de sair do asfalto na volta

Uma vez de volta à estrada de terra, seu próximo momento de atenção será uma bifurcação onde você deverá se manter à esquerda para acessar àquele trecho com cascalho mais grosso, lembra? Também há uma placa amarela nessa esquina com uma seta indicando a direção que deve tomar, sentido Resende.

Bifurcação onde você irá manter à esquerda.

Depois de já ter voltado por todo o caminho do lago, mais alguns quilômetros adiante você irá ver uma bifurcação confusa, na qual você deverá manter-se à direita, ao contrário do que o seu instinto de permanecer na parte melhor conservada da estrada te diz, se você errar aqui poderá ir para no distrito de Formoso, se afastando de Resende. Confira abaixo:

Bifurcação na volta onde você deve descer no caminho mais à direita.

Essa bifurcação marca o início de uma longa e mais técnica descida, onde ao final você irá virar mais uma vez à direita para acessar o trecho que irá te levar sem erro de volta ao Alphaville em Resende.


 

E aí, o que achou desse passeio? Já fez? Pretende fazer? Sabe de algum detalhe importante que não mencionamos? Conte para nós nos comentários!

 

Ficha técnica

Tipo de bike recomendada: MTB

Estrada de terra: 50km (ida e volta)

Acostamento de BR: 10km

Trilha de bike: 5km (opcional) Possui cachoeira: DUAS.

Passa por propriedade particular: SIM (5 reais)

Ganho de elevação: 378m (ida)

Nível: AVANÇADO (subidas cansativas; descidas técnicas no cascalho e destino muito distante) Atrações: Cachoeira do Criminoso, Cachoeira da Usina

 

Nos siga nas redes sociais:

Instagram: instagram.com/biketouragulhasnegras

Facebook: facebook.com/biketouragulhasnegras Strava: http://strava.com/clubs/biketouragulhasnegras

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCZNBvczIamsQZ6W_JY3ZmOw

495 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo